Se ame, independente de como você for!

17 de Novembro, 2016

Se ame, independente de como você for!

Atualmente vivemos em uma sociedade onde a ditadura da beleza estabelecida pela grande mídia é inatingível, impondo a magreza, o corpo sarado, a pele e os cabelos perfeitos, etc, como padrões de beleza. Com isso as pessoas estão cada vez mais obcecadas pela busca de um “corpo perfeito”.

A maior parte das pessoas que conheço, traze a queixa da busca pela perfeição inalcançável do “corpo perfeito”. Elas trazem que estão simplesmente cansadas desta busca, porém, mesmo cansadas, continuam buscando. Mas porque continuar se estão cansados?

Cheguei à conclusão que a tal busca vai muito além do corpo perfeito. Na verdade, o que essas pessoas estão buscando, em primeiro lugar, é a aceitação. Ser aceito é ótimo. Traz tranquilidade e segurança, não é? Sem dúvida. No entanto, acredito que buscar ser aceito por meio de um “corpo perfeito” não é a melhor forma, já que assim olha-se para fora ao invés de olhar para dentro. E olhar para fora e ter o outro como referência, é buscar ter o corpo que vai agradar o outro.

Nessa ânsia por ser aceito, tem início uma verdadeira guerra com o próprio corpo, ou seja, com a imagem corporal que é a representação mental que você tem do seu corpo, ou seja, como você se vê. Pare e pense: você está em guerra consigo mesma? Você não gosta da sua aparência? Acaba sempre frustrada com as tentativas de mudança? Se você respondeu sim a essas perguntas está na hora de começar a se perceber com outros olhos. Nesse caso, com os seus olhos. É preciso fazer as pazes com o seu corpo. Cuidar do seu corpo por amor a ele.

Comece uma jornada na qual você vai buscar a consciência e a atenção no seu próprio corpo. Como fazer isso?

1. Cuide do seu corpo

Faça isso independente do seu peso ou dos seus objetivos com relação a ele. Seu corpo é seu, o único que você tem e merece todo esse autocuidado. Cuide, curta-o, mexa-se, estique-se, caminhe, dance, faça massagens, as unhas, os cabelos, tome um banho de espuma ou um banho demorado.

2. Pare de se criticar

Quando você diz que é feia, está expressando um pensamento negativo e criando sentimentos ruins a seu respeito. Quando se sente triste, tem grandes chances de se comportar de acordo com seus sentimentos e, assim comer de mais, numa tentativa de autopunição.

Pode, inclusive, evitar o convívio com outras pessoas e torna sua vida infeliz. Ao contrário do que algumas pessoas pensam, as críticas destrutivas não nos motivam a mudar e sim reforçam comportamentos desadaptativos, contribuindo para uma baixa autoestima. Reponha o tempo que você gasta criticando sua aparência com atividades positivas e satisfatórias.

3. Agradeça todos os dias

Agradeça todas as manhãs ao seu corpo por ter descansado e rejuvenescido. Já todas as noites, agradeça-o por ter desfrutado de mais um dia.

4. Pense nas qualidades de pessoas que você ama

Esse exercício consiste em você pensar em algumas pessoas que você admira e escrever as qualidades delas. Após, reflita: a aparência dessas pessoas importa para você? Percebe como existem muitas coisas na vida cujo valor é maior do que um corpo dito perfeito? Não gaste tanta energia valorizando a aparência.

5. Só mude se você quiser

Quem decide o que é melhor para o seu corpo é você, e não as outras pessoas ou a mídia. Você pode muito bem estar feliz no seu peso acima ou abaixo do padrão e ninguém pode te tirar o direito de continuar se sentindo assim. Nunca mude por um padrão de beleza, até porque, sabemos que padrões de beleza mudam muito rápido. A mudança só deve ocorrer se partir de dentro de você, e não de fora. Você pode mudar sim, e sempre que quiser, mas só se a pessoa que mais quiser isso for você.

Beleza não se resume apenas a um corpo físico, não é algo meramente superficial. Ser uma pessoa bela reflete um todo. Aprenda a amar a pessoa que você é por dentro e por fora. Se ame, seja como você for!


Patrícia Schneider Girardi Psicóloga do NAP